sábado, 17 de dezembro de 2011


Sentado com as mãos contra o rostro ele pensava em sua liberdade, só conseguia ouvir o barulho do seu relógio, mas por um segundo o relógio parou, e tudo mais parou, por um segundo o tempo parou e a única coisa que podia ver era o azul turquesa da parede através do espaço entre seus dedos.Até sentia que era melhor assim, disperso no tempo, sem nada.
Ele levantou Caminhou ate a sala de aula, e se sentia preso, mais preso do que nunca se sentira ali naquela sala, então olhou a persiana fechada, e através dos espacinhos ele podia ver que apesar de já ser noite ainda estava claro.Então abriu violentamente a persiana para deixar todo o espaço entrar na sua visão, se aproximou do vidro e apoiou os braços dobrados na grade, pôs a mão no vidro imaginando poder tocar as nuvens.Mas abrir a persiana e olhar pela janela não era o bastante pra ele, ele queria abrir a janela, sair por ela e voar até que conseguisse ver tudo num raio de 360° e ainda sim não seria o bastante, queria explodir em mil pedaços e sentir o mundo em cada pedacinho espalhado pelo vento.Se sentiria finalmente livre e liberto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário